Sábado, 8 de Dezembro de 2007

Beowulf (2007)

Beowulf transpõe para o cinema, sob o formato 3D, uma adaptação do poema épico de mesmo nome que conta os feitos e infortúnios do mais valente dos vikings. Em resposta ao pedido do rei Hrothgar (Anthony Hopkins), Beowulf (Ray Winstone) chega à Dinamarca para derrotar Grendel (Crispin Glover), um ser meio-humano, meio-demónio que lhe atormenta o reino e o pensamento. Não imaginava Beowulf que os seus problemas não acabariam com a morte do demónio, pois sobre ele recairia a maldição suportada pelo rei, levando-o ao inevitável encontro com a mãe de Grendel (Angelina Jolie). O seu tempo de glória viria mais tarde a confundir-se com o seu declínio enquanto líder, guerreiro e principalmente enquanto homem.
Ao contrário do que poderá sugerir à partida, a recriação tridimensional das personagens não deixa de fazer transparecer as magníficas interpretações de actores como John Malkovich enquanto Unferth, o comandante das tropas do rei, Brendan Gleeson como Wiglaf, o braço-direito de Beowulf ou Robin Wright Penn como Wealthrow, a rainha, tendo permitido inclusivamente a adaptação de certos aspectos reais destes ao resultado pretendido. Veja-se o caso de Ray Winstone no papel de Beowulf.
Por outro lado, Beowulf peca por se focar demasiado nos momentos de conflito e deixar muito por contar. É certo que o desenvolvimento em CGI é por si só um apelo à espectacularidade, mas fica a sensação de que estes momentos necessitavam de maior enquadramento. A este facto associa-se o, para muitos escandaloso, afastamento da história que o realizador Robert Zemeckis imprimiu ao filme face ao poema original, algo apenas perdoável para quem considerou o filme uma obra independente ou simplesmente não teve acesso à obra literária.
Beowulf não é um filme de animação 3D como os que nos habituámos a receber de estúdios como a Pixar ou Dreamworks. O seu cariz adulto e acção visceral associados ao tema dos grandes épicos preenchem uma lacuna presente nos cartazes de cinema mais recentes. Poderá não ser um dos candidatos aos Óscares do próximo ano, até porque se insere numa categoria algo ambígua, mas é sem dúvida uma boa peça de entretenimento.
Apesar de não dispormos por cá de cinemas equipados com IMAX 3D, Beowulf pode ser visto em algumas salas em "verdadeiro 3D" com o recurso ao sistema Real D e o seu par de óculos polarizados. Dado o aumento da experiência imersiva introduzido por este sistema, não existem razões para não ver Beowulf no formato para o qual foi pensado, a não ser o talvez exagerado acréscimo no valor do bilhete.

4/5


Trailer:
música: Burial - Distant Lights
publicado por Tanbark às 11:12
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28

.posts recentes

. Valkyrie

. The Happening (2008)

. Hancock (2008)

. Rambo (2008)

. Cloverfield (2008)

. Top 10 - Álbuns 2007

. Beowulf (2007)

. Eastern Promises (2007)

. Death Proof (2007)

. GTA IV - Trailer

.arquivos

. Fevereiro 2009

. Agosto 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Julho 2007

. Abril 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds